Fragmentos de Havana e Nova Iorque

COLATERAL

COLATERAL

Geraldo Melo surpreende a cada movimento. Sua investigação humana é feita de achados raros da mesma matéria espalhados por territórios distintos. Movimenta-se, portanto, de forma calculada, porém, sem certezas. Foi o que fez quando buscou Havana e Nova Iorque no momento exato em que o estado das coisas ameaçava se modificar pela primeira vez após muitos anos. Diligente, empenhou-se em descobrir similaridades em duas identidades, duas culturas, duas ideologias em aparente oposição, porém prestes a se misturar novamente. Uma viagem que percorreu o hiato histórico entre homens e mulheres contemporâneos. Algo a ser percebido sem julgamento, como pontos de vista diferentes que demonstram uma mesma verdade. Os efeitos colaterais das fotos de Geraldo são imprevisíveis como sua criação de imagens. Sua poesia reside na despretensão de quem fotografa apenas para contar histórias e termina por fazer história.

Karla Mourão e João Sobral
Curadores

[village_button link=”/sobre”]Voltar[/village_button]