Devaneios

Por Ruthie Tucker – Amsterdam Whitney Gallery

“A fotografia é um segredo sobre um segredo. Quanto mais diz, menos você sabe”, proclamou Diane Arbus sobre seu ofício. As imagens do fotógrafo brasileiro Geraldo Melo conduzem o espectador através de uma combinação de segredos, demonstrando através das suas lentes como as pessoas interagem e se tornam parte inseparável do ambiente ao seu redor. Seus olhos capturam pessoas e lugares em movimento, permitindo ao espectador vivenciarwhere can i pay someone to write my essay a emoção do instante retratado, tornando-se parte da cena e sendo atraído pela energia cinética do snapshot.

Excepcionalmente vivazes e grandiosas, cada uma das fotos de Geraldo Melo contém movimento e velocidade cinematográficos, dando a impressão que podem ganhar vida a qualquer momento. Há uma extraordinária espontaneidade em sua obra que oferece uma compreensão generosa do mundo e de sua intensa atividade. Cada imagem cria uma narrativa em si que está aberta a inúmeras interpretações, incitando perguntas e oferecendo poucas respostas, pois este não é seu objetivo. Em última análise, cada foto é uma experiência em si, permitindo que o espectador atravesse o limite de molduras e enquadramentos,cover page in apa format visitando um território com vida própria, sons e cheiros que eles nunca conheceram, como uma aventura de cinema.

Geraldo Melo vê o mundo de uma forma cuidadosa e exuberante, retratando seu estado mais belo. Ao compartilhar sua visão de mundo, Melo nos dá a oportunidade de participar da sua admiração pela maneira como as pessoas se tornam parte de seus arredores, fazendo-nos despertar também para a consciência de comunhão com o todo. Carregadas de vida e energia, cada uma de suas imagens é um amálgama da civilização, mostrando o quanto é importante o sentimento de igualdade e união.

Brilhante e inspirado, o trabalho fotográfico de Geraldo Melo funciona como uma porta live girl chat room de entrada para mundos díspares daqueles que vivemos diariamente, porém sem um grande senso de deslocamento, mas sim com a sensação de continuidade do fazer humano, uma aventura oferecida por sua lente de gênio.

[village_button link=”/sobre”]Voltar[/village_button]